Naruto - Boruto RPG

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

[FS 1] Kyouraku - Ossos

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1[FS 1] Kyouraku - Ossos Empty [FS 1] Kyouraku - Ossos em Qua Ago 14, 2019 5:15 pm

Um

Um
Staff
Staff
Nome: Ossos
Local: Pais da Terra, passado
Detalhes: A infância de Kyouraku, apresentação de sua irmã

Ver perfil do usuário

2[FS 1] Kyouraku - Ossos Empty Re: [FS 1] Kyouraku - Ossos em Sex Ago 16, 2019 7:05 pm

Parte I

Em uma pequena casa no meio do território do pais da terra, cercada por montanhas, sem vegetação verde ou agua corrente, muito longe de qualquer lugar ou vila existia uma criança. A casa, por sua vez era pequena e velha, parecia abandonada muitas das vezes, isso por que a única pessoa que ali vivia, todos os seus dias era Kyouraku.

Kyouraku, um garoto magro e sem qualquer músculos, seus olhos eram fundos, o garoto era alguém visivelmente debilitado. Ele vivia constantemente repleto de talas, faixas e genos, isso por que seus ossos sempre foram fracos, qualquer tombo ou movimento brusco causavam enormes problemas.

Em seu quarto, criado quase que especificamente para ele, incontáveis almofadas, cobriam o chão e qualquer outra coisa que pudesse causar problemas ao garoto, ele vivia realmente uma bolha de pelúcia. Devido a sua incapacidade de se quer sair para fora de casa, Kyouraku afundava-se nos livros e pergaminhos que Suimai, sua irmã mais velha trazia do mundo fora da casa. Tendo uma imensa curiosidade e talento para as artes, o garoto amava quando Suimai trazia algo referente a isso, dizer que a vida de Kyouraku era ruim, não era possível, afinal tudo sempre vinha a ele de mão beijada, mas ainda sim algo faltava, sua imensa curiosidade sobre o mundo a fora crescia em seu peito a cada dia.

- K! Mas o que?! - Suimai corria para a varanda da casa. Estatelado no chão, estava Kyouraku chorando. Seu braço esquerdo mais uma vez havia se quebrado, sua perna direita, assim como seu braço estava em "pedaços" - Se você não estivesse assim, merecia apanhar! -  pegava o garoto com cuidado e o levava para o quarto.
- Eu só queria ver as coisas la fora! - Kyouraku chorava entre as palavras. Eles, Kyouraku e Suimai sentavam-se nas almofadas do quarto do garoto, a irmã com cuidado começava a entoar seu chakra para lentamente concertar as fraturas do corpo do menino
- K, eu sei que você quer sair, mas tenha paciência, eu vou conseguir um jeito de te ajudar, você vai ver! Não confia na irmãzona aqui? - Suimai sorria. Ela era muitos anos mais velha que Kyouraku, a quem chamava carinhosamente de K. Os cabelos pretos longos, sempre amarrados em um coque, os olhos azuis, mais brilhantes que o de K e suas feições, faziam de Suimai uma linda mulher.
- Ta bom.. eu confio! - K tentava sorrir e se mostrar confiante, mas a verdade era que ele já estava ficando chateado com tudo aquilo. As dores constantes, a "prisão" que ele chamava de casa, aquilo remoia o interior do garoto.

Depois de alguns minutos, as fraturas estavam relativamente curadas, e mais faixas e talas eram colocadas no menino
- K, por que não me mostra o que aprendeu enquanto eu estive fora? - Suimai, ficava muito tempo fora de casa, por isso ela sempre preparava comida e roupas para seu irmaozinho passar bem durante vários dias. Ela tentava de alguma forma distrair K das dores do agora.
- Você vai ficar impressionada! - Kyouraku sorria a animado. Ele pegava uma folha de papel e um gis colorido - olha, olha - desenhava um dragão, era incrível que apesar da pouca idade, Kyouraku desenhava de forma quase perfeita, o dragão desenhado pela criança parecia uma criatura viva, apesar de ser desenhado com gis, sem muito detalhe era ainda algo admirável.
- É muito bonito K - Suimai sorria
- Não isso! Olha agora! - Kyouraku sorria enquanto fazia um selo de mão, ele fitava o papel em sua mão quando o desenho voava para fora fugindo e voando pelo quarto
- Ow! Isso é incrível mesmo K! - Suimai se impressionava sorrindo, ela passava a mão na cabeça do garoto - Você é um craque mesmo hein -
- Não é só isso! - O menino jogava o papel para o alto e ele se dobrava sozinho virando um aviãozinho que rodava ao redor do quarto junto do Dragão.
- Você é um origamista e um desenhista! - Suimai ria
- Não existe origamista Sui! - Kyouraku pulava nos braços da irmã rindo.

Os dois deitados nas almofadas olhavam para o teto enquanto Kyouraku com os braços levantados controlava o avião de papel e o dragão no alto.

A criança lentamente adormecia com o passar do tempo, Suimai saia do quarto do menino indo para a cozinha onde fazia algum tipo de comida, separando-a em vários potinhos. Aquelas eram as "marmitas" de Kyouraku para os dias que ela não estaria ali.

Ela entoa seguia para o banheiro, ao retirar sua blusa, uma grande ferida sangrava em sua cintura, ela usava suas habilidades medicas para cura-la rapidamente. Olhando para o espelho, sua feição alegre e gentil se perdia, os olhos frios e sérios encaravam o reflexo - Aguente mais um pouco K, eu vou te trazer te trazer algo bom dessa vez -

Ver perfil do usuário

3[FS 1] Kyouraku - Ossos Empty Re: [FS 1] Kyouraku - Ossos em Dom Ago 18, 2019 12:16 pm

Parte II

A noite assobiava com os ventos fortes de chuva que logo começariam a cair, em seu quarto algo incomodava Kyouraku. Noites de  tempestade eram as piores, pois o medo dos barulhos e vendavais, somado a solidão em sua casa faziam o garoto tremer, ele se segurava nas almofadas e cobria seu corpo com os cobertores, esperando ansiosamente apenas a manhã chegar.

- K! - Suimai entrava no quarto aflita, aquilo fazia Kyouraku pular da cama confuso - Pegue tudo que precisa, apenas uma mochila! Rápido! -
- O que? Por que? - Kyouraku esfregava os olhos limpando as poucas lagrimas que brotavam deles, confuso o menino se levantava e começava a arrumar suas coisas
- Rápido! Não, não, só o necessário! - Suimai pegava a mochila das mãos de Kyouraku e literalmente amontoava as coisas dentro dela
- Irmãzonha, onde vamos? Por que tão depressa? - O menino estava confuso, ele não entendia o que estava se passando
- Vamos agora, eu explico demais - Suimai pegava K e sua mochila no coloco correndo para fora da casa.

As nuvens de chuva estavam escuras, elas impediam que a luz da lua e das estrelas permeasse e chegasse ao chão. Os ventos corriam frios por entre as montanhas e rochas que cercavam a pequena casa.

Quando Suimai e Kyouraku chegavam fora da casa, varias pessoas estavam ali. Pelo menos dez cercavam a propriedade. Eles vestiam cores bege e avermelhadas, muitos deles usavam apenas uma manga longa. Em suas testas bandanas estampavam a vila oculta da pedra

- É o fim da linha - Um homem alto falava com tom arrogante.

- Sui? - Kyouraku olhava para sua irmã sem tender nada. Ele apertava a jovem mais forte. Os braços de Suimai envolvidos em Kyouraku parecia ganhar uma força maior, como um instinto natural para protege-lo.
- K, me escute Ok? Vamos fazer um jogo, você gosta de jogos não é? Quero que conte até o maior numero que conheça em voz alta de olhos fechados - Suimai segurava Kyouraku com apenas um braço enquanto colocava a mochila nas costas do menino.

- Você não passará daqui garota, não pode roubar coisas de Iwa e sair livre - Dizia o homem alto dando um paço a frente
- Estamos combinados K? - Suimai ignorava o homem
- sim! - Gritava Kyouraku fechando os olhos

- Um! - Dizia o menino.

Suimai com a braço livre movia-o para o alto. Na palma da mão da jovem uma boca abria e dela varias esferas brancas pulavam para fora e explodiam em fumaça!

- Peguem ela! Não a deixem fugir! - Gritava outro dos inimigos.
- Dois! - Kyouraku gritava

Uma saraivada de kunais e shurikens eram lançadas em direção a Suimai e Kyouraku. A fumaça escondia sua posição, mas eles sabiam que os dois estavam dentro da fumaça. Um grande pássaro branco subia do meio da fumaça desviando de todas as lâminas lançadas, nas costas do pássaro, estavam Suimai e kyouraku

- Três! - Gritava mais uma vez Kyouraku

Labaredas explodiam da boca dos ninjas no solo e o pássaro rapidamente desviava delas, dançando no ar.

Suimai via uma sombra sobre seu pássaro, ao olhar para cima a garota via um pássaro exatamente igual ao seu, dele varias esferas pulavam, pequenos gafanhoto brancos nas asas do pássaro de Suimai. A garota imediatamente segurava forte seu irmão, quando os gafanhotos explodiam destruindo as asas do pássaro.

Suimai segurando Kyouraku, pulava do passaro e fazia outro que voava na mesma autitude do pássaro inimigo. Sobre ele, um homem alto, cabelos escuros e curtos, moviam-se para trás graças a alta velocidade. A manga vermelha dançava no ar, quanto ele movia as mãos para criar alguma técnica.

Técnica essa não acontecia, isso por que Suimai lançava pequenos pássaros brancos que voavam rápido em direção do inimigo. Este por sua vez alterava seu ataque, mudando os selos de mão e gerando uma onda elétrica que desativava a possibilidade de explosão das pequenas aves

- Quatro! - Gritava Kyouraku

Um trovão alto explodia no céu e um relâmpago iluminava o meio da nuvem acima deles.

Quando isso ocorria, o homem sobre o pássaro saltava de seu animal Armando um soco. Suimai sentia o perigo, ela segurava forte Kyouraku e pulava de seu pássaro. Com um selo de mão ela gritava
- Katsu!
- Cinco! - Kyouraku seguia

O inimigo socava o pássaro gerando uma explosão ao seu toque, ao mesmo tempo que o pássaro de Suimai explodia! O impacto lançava o inimigo para cima enquanto ao lançava Suimai e Kyouraku para baixo com mais força.

A velocidade, impacto e a forca dos braços de Suimai estalavam nos ossos de Kyouraku, aquilo causava uma imensa dor ao garoto

- Seis! - Kyouraku gritava entre lágrimas. Lagrimas que em poucos instantes misturavam-se com os pingos de chuva.

Um relâmpago cortava o cenário caindo entre Suimai e o inimigo. Ela liberava vários pequenas bombas que explodiram ao seu redor criando uma espécie de parede de explosões enquanto um outro pássaro levava os dois em segurança para longe.

No solo os ninjas de Iwa agrupavam-se ao redor do líder, aquele que havia seguido Suimai pelo ar.

- Senhor, eles fugiram - Dizia uma jovem
- É eu ja percebi, mas tudo bem, sei para onde eles vão - O homem sorria - Contatem  vila oculta da cachoeira -

Ver perfil do usuário

4[FS 1] Kyouraku - Ossos Empty Re: [FS 1] Kyouraku - Ossos em Seg Ago 19, 2019 5:56 pm

Parte III

A manhã chegava, a chuva ja havia ido embora e Suimai encostada de costas em uma árvore abraçava seu irmão que dormia. O passar branco estava próximo a eles no chão.

A paisagem era muito diferente, a grama verde, as árvores frondosas, o barulho constante de água caindo enchia os ouvidos dos dois. Kyouraku, acordava

- irmãzona, onde estamos? - Kyouraku olhava envolta esfregando os olhos de sono
- Gostou daqui K? Esse é o país da cachoeira - Suimai se levantava - fique aqui um pouco com ele - indicava o pássaro - ele vai te proteger, eu vou procurar algo para comermos - Em instantes Suimai sumia das vistas de Kyouraku.

Passavam-se algumas horas desde que Kyouraku ficara ssozinho, ele tirava de si mochila um livro e para passar o tempo começava a aprender sobre venenos. Depois de um tempo, Suimai retornava

-K, venha comigo, vamos consegui uma casa e coisas para comer - Suimai parecia a animada - Aqui - Ela entregava um bolinho para Kyouraku.

Os dois seguiam por algumas horas ate uma pequena cabana no meio da floresta, ela estava abandonada, suja e repleta de teias de aranha. O garoto adormecia no sofá enquanto a jovem passava a noite limpando a casa.

Na manha seguinte, era quase como se Kyouraku acordasse em uma casa nova, os mmóveis, chão, teto e ate mesmo a estrutura do local parecia diferente. Ela apresentava o novo quarto para o menino, muito semelhante ao antigo, com almofadas. Os dois viviam ali por alguns dias, ate que Suimai voltava a sua rotina de sair constantemente de casa. A vida de Kyouraku, voltava a ser como antes, preso no quarto, repleto de livros e pergaminhos, mas esta rotina não demoraria a mudar...


- K! K! - Suimai entrava animada e gritando em casa
- Sui? - Kyouraku perguntava com um pouco de sono, esfregando os olhos, afinal era bem cedo
- Venha comer, ja do seu café! Tenho uma surpresa para você! - Suimai parecia muito mais feliz consigo mesmo naquele dia.

Depois de comerem um café da manhã reforçado, Suimai colocava na mesa um pergaminho. Era um pergaminho muito diferente do que o garoto estava acostumado, ele era visivelmente mais grosso que os outros, revelando possivelmente que o conteúdo era muito maior. Além disso, ele levava o símbolo da aldeia da cachoeira e uma corda dourada ao seu redor, com um nó especial.

- O que é isso?! - Kyouraku vendo a animação da irmã, acabava se animando também
- Esse pergaminho, tem uma técnica que vai te permitir sair de casa! - Suimai sorria de orelha a orelha
- Sério?! Serio mesmo? - Kyouraku pulava no colo da irmã rindo e com lagrimas nos olhos, ele estava realmente feliz.
- K, escute com atenção.. - Ela ficava seria - Nesse pergaminho, tem uma técnica secreta, por isso vai ser muito mais difícil aprender ela do que as outras que esta acostumado, mas se aprende certo, acredito que vai conseguir sair de casa - Suimai sorria, apesar do menino não notar, ela possuia um certo pesar e medo em seu rosto
- Oba! Vou aprender irmãzona! Vou aprender certinho, prometo! - Kyouraku pegava o pequenininho e ia para o quarto o maia rápido que podia. Mas no caminho, ele tropeçava quebrando assim seu pé direito.

Suimai corria para o corredor pegando-o no colo e levando o menino para o quarto, onde ali fazia o necessário para curar o ferimento.

- Não se esforce muito K - Suimai ficava preocupada
- Ta tudo bem, eu estou bem, foi bastante isso, mas estou tão feliz que bem ligo tanto mais - Apesar das palavras do garoto, Suimai via as lagrimas de dor em seus olhos. Ela sabia que o menino estava tentando se fazer de forte.

A rotina dos irmãos Shunsui, seguia como sempre. Suimai ia e vinha da casa como o vento, passando pouco tempo com Kyouraku, que ficava horas, dias sozinho apenas no quarto entretido em seus pergaminhos, desenhos, música, e artes em geral. Além é claro do pergaminho especial que sua irmã havia lhe entregado tempos atrás.

O sol nascia frio no horizonte, o menino deitado no chão acolchoado, babando sobre o pergaminho era acordado gentilmente por Suimai.

- K, vai para cama - Suimai começava a pegar ele, quando Kyouraku pulava
- Eu consegui! - Ele estava animado - Eu sei usar o Jiongu! - Dizia o menino orgulhoso e animado
- O que? Isso é maravilhoso K! - Suimai abraçava o garoto, os dois derramaram algumas lagrimas de felicidade. Mas aquilo rapidamente mudava.

Uma explosão destruía a parte da frente da casa.

- O que aconteceu? - Perguntava Kyouraku assustado
- Droga, achei que teria mais tempo - Suimai olhava para Kyouraku - Vamos fugir - Ela estava séria.

Rapidamente, vários ninjas entravam na casa, mas desta vez eles não estavam com as mesmas bandanas. Haviam dois símbolos visíveis, a vila oculta da pedra e a vila oculta da cachoeira. Elas duas haviam feito aparentemente uma aliança para pegar os irmãos.

- Ora, ora, quem temos aqui - O homem que falava, era o mesmo que Suimai havia enfrentado ao fugir do pais da pedra.
- Essa é a mulher? - Um mulher alta e de cabelos verdes, com um sorriso sinistro aparecia ao lado do homem. Ela diferente dele era uma ninja do pais da cachoeira.

- K, não teremos tempo de pegar nada, apenas vamos - Suimai segurava o garoto com um braço e socava o chão criando uma grande explosão que além de jogar algumas pessoas próximas para trás, lançavam os irmãos para o alto. A pressão da explosão era grande o suficiente para fazer os dois destruírem o teto.

Kyouraku sentia uma dor eescruciante com todo aquele impacto, mas agora seus ossos não estalavam e se  quebravam, isso por que ele já não possuía mais ossos! Mesmo assim sua pele era sensível, a dor corria pelo seu corpo. Mesmo Suimai usando seu corpo para proteger Kyouraku, ainda sim ele sofria.  A dor maior era com toda certeza da jovem, mas esta parecia muito maia resistente do que o normal.

Quando o teto se quebrava e eles pairavam no ar sobre a casa,  notavam incomparáveis ninjas das duas aldeias. Todos eles disparavam Shurikens e kunais em direção aos irmãos. Suimai erguia sua mão, talvez ela utilizasse uma técnica para defende-los, mas foi Kyouraku que os salvará, com um grito de dor.

O grito de Kyouraku ecoava por todas as direções, repetindo as armas lançadas e ainda mais, papéis explosivos que estavam anexadas as armas e nos bolsos dos inimigos se ativa am sozinhos causando uma gigantesca explosão em cadeia ao redor da casa.

Isso fazia Suimai ficar completamente surda, mas viva. Ela sacava uma kunai presa a um fio de aço e lançava em uma árvore próxima, ou no que restou de uma delas. Puxando a si mesma e conseqüentemente seu irmão ate a árvore.

- K, você esta vendo aquela arvore bem alta no horizonte? Vá ate ela - Suimai falava alto  devido a sua perca de audição. Kyouraku falava algumas coisas, mas ela não podia ouvir - K, eu não posso te ouvir! Apenas faça o que estou pedindo, não posso salvar você e fugir ao mesmo tempo, nos iremos nos ver de novo, eu prometo! -

Sem ter muito o que fazer, Suimai dava um beijo na testa do garoto que a abraçava e desfazia-se em papel e como um turbilhão começava a subir aos céus.

Suimai reparava que os inimigos estavam preparando técnicas, mas ela lançava-se contra eles. Ao focar o chão enviava seu chakra para ele, fazendo toda a área se desestabilizar, isso atrapalha os inimigos que disparavam suas técnicas a esmo. De forma tão desordenada que os papéis conseguiam sumir da vista de todos.

- Irei mata-los aqui! - Suimai gritava, ela engolia uma grande quantidade de argila d cuspia uma espécie de clone gigante de argila.

- Fujam! - Dizia a mulher da Cachoeira
- Usem raiton - Gritava o homem da pedra

Mediante aos comandos controversos de seus lideres, alguns de começavam a entoar eletricidade enquanto outros apenas corriam para longe.

O clone explodia, mas nada ocorria, a eletricidade havia neutralizado tudo. Mas antes que todos notassem, três grande bonecos de argila expandiam no céu. Eles caiam fortes explodindo e criando pilares de luz gigantescos.


Depois de alguns dias de viagem, ainda transformado em papel Kyouraku caia ao chão sem energia, ele ainda estava longe da árvore. Fora então que um pássaro branco surgia sobre ele.

- K, é bom vê-lo a salvo - Suimai abraça o irmão.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Tópicos similares

-

» [CAERN] Clareira Central

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum

MensagensUsuários registradosÉ o novo membro